Só ria

Sorrir é arte
É abrir as cortinas
Mostrar os artistas brancos
Outros, nem tanto

Sorrir é preciso
Necessita-se de sorrisos
Só risos
Para fazer disso, um vício

O espetáculo nunca deveria acabar
As cortinas nunca deveriam se fechar
A alma deveria ser sempre nua
Sorrir deveria ser uma doença sem cura

Até que mele

Olhos dilatados
Pele à flor da pele
Me pegue
Me puxe para o seu lado
E não deixe que eu fuja

Língua nos lábios
Sue até que mele
Me pegue
Me jogue para os lados
E não deixe que isso suma

O importante foi competir

Eu, que fui acostumado a ganhar
Aprendi a perder na marra

Aprendi a perder um pouco de alma
A cada hora que havia de sofrer

Eu, que fui acostumado a ganhar
Aprendi a perder perdendo você

Ficou pelo caminho

Eu voltei, cuidadosamente
Pelo mesmo caminho
Que me fez chegar até aqui

Pensei
Repensei
E não sei como te perdi

Meias

Meias verdades
Meias vontades
Meias saudades

Viver pela metade é ilusão
Tire suas meias
Ponha o pé no chão

Porta-retrato

Aqui na cabeceira ao lado
Há um porta-retrato
Que retrata o nosso passado

O retrato velho
Mostra um eu e você
Que, também, em meu coração está guardado

Quando não se puder ver nada na fotografia
De tanto tempo que passará
Estaremos seguros aqui dentro, em minha nostalgia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...