Corrente

Embora os ponteiros
Inúmeras vezes, tenham girado
Do relógio, que falo
Aqui dentro há um mundo estático

Há uma saudade dolorosa
Uma nostalgia lenta
Vagarosa
E, vagarosamente, mente

Distorce o tempo
Me prende ao passado
Faz com que não siga em frente...
Minha saudade é corrente

17 comentários:

  1. UAu.. adorei amigo! TO com saudadeeeeeeeeess

    passa la no meu cantinho tbm! tem coisa nova escrita.. um monte hhe. dei ra escrever mais agora..rs

    bju

    ResponderExcluir
  2. Absolutamente perfeita!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Augusto! Achei vc no blog da Lua, e adorei isso aqui! Sempre estarei por aqui. Topa parceria? Um abraço! Luh Gosselen

    ResponderExcluir
  4. É verdade, a saudade não tem tempo e quando a sentimos pelos segundos que passam ela torna-se a eternidade, amarrando-nos cegamente aos ponteiros!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  5. Que Lindo... a saudade é bem assim.!

    Eu li outras postagens sua...
    Magnífico.

    Estou ti seguindo..
    Bjão

    ResponderExcluir
  6. correntes que me matam a cada dia, hora, minutos e segundos...

    ResponderExcluir
  7. As vezes me vejo aprisionada em saudades também


    lindoo

    ResponderExcluir
  8. Às vezes tudo o que se precisa pra seguir é justamente desatar...

    ResponderExcluir
  9. lindo poema, adorei (um amigo seu me apresentou o blog)

    ResponderExcluir
  10. E que bom que gostou! Fico feliz...

    ResponderExcluir

Poderá ser preciso clicar mais de uma vez no botão "Postar comentário" para que o seu comentário seja enviado com sucesso. Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...