A cama de ondas

Sob cobertores e contos
Ao som de Strokes no canto
Nosso entrelaçar tem sabor de nós dois

Confundir suas pernas com suas mãos
Vice-versa, em versos
Escuto não só o meu, mas o seu coração

E esse estado de não-estar
Em mim, digo, e sim em você
É como a sensação de... Sei lá
Talvez de como pela primeira vez ver o mar

E, assim, navego em nós
Não seguro, eu sei
Mas trancamos a porta
Então... Quem se importa?

8 comentários:

  1. Quem se importa em amar toda hora e se sentir o vice versa? Eu não me importaria assim como você grande poeta! Muito boas todas as poesias, quero um livro hem^^.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito como sempre. Acho que traduz exatamente aqueles grandes amores que a gente sabe que vão durar, mas tem medo de que não passem de uma noite! Parabéns, August!

    ResponderExcluir
  3. Que delicia de poema!

    Insinuante, mas claro.
    Palavras entrelacadas feito as pernas, as maos.
    Tao bom sentir isso!
    Tao bom abrir uma fresta da cortina e poder ver isso, partipar!

    Tao bom quando o fazer amor se faz bom!

    Um abraco!

    ResponderExcluir
  4. Gostei da poesia! vc escreve com simplicidade, mas com muito profundidade...gosto disso!

    Parabéns pelo espaço! estarei sempre por aqui agora...

    abraços!

    ResponderExcluir
  5. Poesia suave que provoca arrepios!
    E você está cada vez melhor.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Poderá ser preciso clicar mais de uma vez no botão "Postar comentário" para que o seu comentário seja enviado com sucesso. Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...