Sem saber

A cidade foi enfeitada
Com tiras de tecido colorido
Luzes, flores e sorrisos

Eu só não sei o porquê e
Saber nem preciso

A beleza está nisso

Ensaio

Acho que não adianta fazer mais nada

Pode mudar o cenário
Trocar o figurino
Suas falas, a posição no palco...

Mudar o seu jeito de expressar
A hora que você vai entrar
Suas caras, a forma de dizer...

Acho que não adianta fazer mais nada
O problema aqui é você

Mar de Abrolhos

Os meus olhos estão cansados

Cansados de serem olhos

Roxos, tristes e lacrimejados


Os meus olhos estão cansados

Cansados de serem olhos

Tão molhados quanto Abrolhos


Os meus olhos estão cansados

Cansados de serem olhos

Cansados de serem olhos...


Cansados de serem...

Cansados...

Can...


O amor não se acha

Eu procurei
Aquele fogo que queimou
Em outros olhares
Os beijos, em paladares

Eu procurei
Aquele arrepio que estalou
Em outros sussurros
As declarações, em muros

Nada encontrei
E por agora isso me dói

Somente por agora
Pois sei que o amor não se acha:
Constrói

Qual rumo seguir agora?

Às vezes são horas

De unhas ruídas

Manhãs com demora

Cabeça com ruídos


“Qual rumo seguir agora?”

É coisa nascida alada:

Vai voar...

Algumas decisões já estão tomadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...