O cachorro da minha rua

O cachorro da minha rua
Tinha um ar de tristeza
E os olhos cor da uva
De chorar tanto ficou seca

O cachorro da minha rua
Ali sentado todo dia estava
Esperando-me com esperança muda
E latia quando eu passava

O cachorro da minha rua
Era um vira-lata apaixonado
Que ladrava com sua feiúra
Entre calçadas e cabisbaixo

O cachorro da minha rua
Amava-me que eu sei
Dormia sozinho embaixo da lua
Sonhando que voltei

O cachorro da minha rua
De me ver tinha sede
E quando saciava tal vontade sua
Eu descobria que era ele

O cachorro da minha rua
Sou eu ao certo
E lhe digo de uma forma nua:
Você é quem escreve estes versos

4 comentários:

  1. Cara, linda poesia!
    Excelente metáfora, e com muito sentimento.
    Gostei muito!
    Parabéns cara! ;)

    Sou seu fã!

    ResponderExcluir
  2. Augusto, gostei pra caramba da poesia, muito inteligente a jogada de incorporar o interlocutor no contexto da poesia. Criatividade tá exalando em!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Excelente sacada, ótimo texto.voce le o texto todo pensando uma coisa e no final descobre do que realmentese trata. Boa cara!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, muito profunda.. O retrato de um ser-humano no animal de rua. Adorei a metáfora!
    Sempre surpreendendo, hein, Augusto?
    Um grande beijo!!

    ResponderExcluir

Poderá ser preciso clicar mais de uma vez no botão "Postar comentário" para que o seu comentário seja enviado com sucesso. Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...