Flor-paradoxo

Naquele jardim havia
uma flor tão feia.
As pétalas disformes
sambavam ao vento
com passos desconsertados
conforme ia chovendo a todo tempo.

As gotas machucavam suas folhas.
Ia descolorindo o verde musgo
e a tinta escorrendo pelo jardim
inundou em mim o desajeitado imundo.
E no segundo piscar de meu olhar
A flor fez-se tão bela em seu lugar.

As gotas latejavam nela,
no seu caule fino.
Era tão frágil, franzino.
Aquela feia flor era tão bela
que trouxe-a para ti (e mim), pois acredito
em nosso amor tão bonito.

Naquele jardim havia
esta flor tão feia.
Naquele jardim havia
esta mesma flor tão bela.
Como havia de ser, que seja,
eu me apaixonei foi por ela.

3 comentários:

  1. C-A-R-A-L-H-O cara...
    Tah foda hein?!
    Da onde surge a inspiração pra isso cara??

    Parabéns.. outra bela poesia!! ;)

    ResponderExcluir
  2. Garoto prodigioso em poesias.
    Gosto.

    ResponderExcluir
  3. Essa eu já conheço. Lendo pela segunda vez é ainda mais apaixonante!
    Aplausos!

    ResponderExcluir

Poderá ser preciso clicar mais de uma vez no botão "Postar comentário" para que o seu comentário seja enviado com sucesso. Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...