Crua

Desta mesma flor que brota minh’alma
Trago-te o aroma do meu querer
Que em cada pétala
Em cada espinho me faz
Lembrar de ti no jardim

Desta mesma canção que escrevi para ti
Tiro das letras, da melodia
Rimas que rimem com tua voz
Em cada nota desafinada
Desatina a saudade, assim, tão veloz

Desta mesma luz que lhe dou
Para iluminar teu caminho até mim
Enxergar-me-ei junto a ti
No feixe de tua pele, teu braço
No feixe do entrelaço

Neste mesmo agora
Em que tal flor brota
No feixe do ritmo da melodia da canção
Eu te quero sem aroma, sem som, sem luz
Eu te quero assim: crua em mim

5 comentários:

  1. Gostei desse, bem carnal... só quero saber onde anda arrumando essas fotos hein ahauhau

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. olha que essa poesia aí é de gente apaixonada heinnn, hahaha, beijos agosto de 2009 :*

    ResponderExcluir
  4. Uma das melhores...
    No doubt (com a Gwen ainda) hahahaha...xD

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Augusto, na moral... Casa comigo!
    Huahuahuah! Nossa, que lindo. Fica entre o romântico e o sensual. Amei.

    ResponderExcluir

Poderá ser preciso clicar mais de uma vez no botão "Postar comentário" para que o seu comentário seja enviado com sucesso. Obrigado pelo comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...